quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Portugal: Más notícias para o Lobo-ibérico, preocupante!


Más notícias para o Lobo-ibérico, Secretário de Estado do Ordenamento do Território e Conservação da Natureza admite em público que a espécie poderá ser considerada cinegética.

As declarações foram proferidas na reunião tida com os criadores de gado da região de Pinhel.

É possível visualizar as declarações* no programa Portugal em Direto da RTP 1 de dia 27 de Janeiro de 2015.

*a peça em referência aparece na parte final do programa, Parte 2 / Min. 19

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

XVIII Encontro Nacional de Vigilantes da Natureza


Companheiros (as), Amigos (as)!


Este ano realiza-se o XVIII Encontro Nacional de Vigilantes da Natureza e as XII Jornadas Técnicas que serão dedicados à Monitorização Ambiental, de Espécies e Habitats.

Temos a honra de vos convidar para participar neste evento, que decorrerá no dia 1 de Fevereiro de 2015, em Odemira, na sede do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Estão igualmente convidados a participar no Dia Nacional do Vigilante da Natureza e nas Comemorações do Dia Mundial das Zonas Húmidas que se celebrarão no dia 2 de Fevereiro, no mesmo local.

Contactem-nos através do endereço electrónico: vigilantesnatureza@gmail.com


01 Fevereiro

10:00 Sessão de abertura (sede do PNSACV-Odemira)
10:30/12:00 PALESTRAS
Ø  Vigilantes da Natureza do PNSACV “Monitorizações realizadas no PNSACV”
Ø  Vigilantes da Natureza da RNET "A Perdiz-do-Mar no Estuário do Tejo”
Ø  Vigilantes da Natureza do PNVG “Monitorizações realizadas no PNVG”
Ø  Vigilantes da Natureza do PNSAC “Monitorização da Perdiz-Vermelha no PNSAC”

Almoço em Odemira

14:00/15:20 PALESTRAS
Ø  Doutor João Castro, Universidade de Évora, “Estudo do percebe e das áreas de reserva marinha do PNSACV”
Ø  Doutora Helena Adão, Universidade de Évora, “O estuário do Mira”
Ø  Doutor José Lino Costa, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, “Os peixes no estuário do Mira”
Ø  Doutora Rita Alcazar, LPN,” Charcos mediterrânicos temporários”

 15:20 Saída de Campo a charco mediterrânico

 19:30 Jantar
Apresentação do cante alentejano
Jantar no restaurante Cova Funda Almograve

02 Fevereiro

09:30 Sessão Comemorativa do Dia Nacional do Vigilante da Natureza e do Dia Mundial das Zonas Húmidas, sede do PNSACV, Odemira

10:30 Visita ao Estuário do Mira

13:00- Almoço comemorativo do Dia Nacional do Vigilante da Natureza


segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Santander (Espanha): Professor Carlos Jerez deixa saudades!


Na foto o amigo Agente do Meio Ambiente Shallcrass Navalon Eduardo e o Professor Carlos Jerez.

O Professor Carlos Jerez vivia em Santander (Espanha), era uma pessoa encantadora e um profundo conhecedor da cultura e da língua Portuguesa. Colaborou com a Associação Portuguesa de Guardas e Vigilantes da Natureza nas palestras efectuadas em Santander para os companheiros Agentes Florestais e do Meio Ambiente.

Partiu no domingo passado e deixa muitas saudades!

Descanse em paz Professor!


APGVN

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

XVIII ENCONTRO NACIONAL DE VIGILANTES DA NATUREZA



XVIII ENCONTRO NACIONAL DE VIGILANTES DA NATUREZA
XII JORNADAS TÉCNICAS – MONITORIZAÇÃO AMBIENTAL, DE ESPÉCIES E HABITATS
1 e 2 de Fevereiro de 2015 – ODEMIRA

Os Vigilantes da Natureza foram instituídos em 1975 como um Corpo Especializado na Preservação do Ambiente e Conservação da Natureza.
Os Vigilantes da Natureza, profissionais que têm uma função meritória no que respeita à proteção do património natural, têm a obrigação de assegurar funções de vigilância, fiscalização e monitorização relativas ao ambiente e recursos naturais, no âmbito do domínio hídrico, património natural e conservação da natureza.
 Cabe-lhes zelar pelo cumprimento da legislação relativa à conservação da natureza e dos regulamentos das áreas protegidas.
Os Vigilantes da Natureza são profundos conhecedores das suas áreas de atuação, com aptidões e vocação para desempenhar as tarefas que lhe estão confiadas, a sua função cumpre-se através da sua permanente presença na área a seu cargo, mediante patrulhamentos terrestres e aquáticos contínuos.
Os Vigilantes da Natureza são pessoal de terreno, mas, não têm como missão exclusivamente a proteção da Natureza e da Biodiversidade, orientando o seu desempenho também para servir as comunidades locais e a sociedade em geral.
Este XVIII Encontro Nacional de Vigilantes da Natureza e as XII Jornadas Técnicas serão dedicados à Monitorização Ambiental, de Espécies e Habitats, contando a Associação Portuguesa de Guardas e Vigilantes da Natureza com a sua colaboração através da sua presença e se assim o desejar de uma comunicação/apresentação que se enquadre no tema proposto. No caso de pretender efetuar uma apresentação agradecemos que nos contacte, indicando a sua identificação e o título da comunicação.
Com os melhores cumprimentos,
A Direção da Associação Portuguesa de Guardas e Vigilantes da Natureza

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Comunicado de Imprensa: Plano de Acção Nacional para o Lobo-ibérico


COMUNICADO DE IMPRENSA


Entidades reúnem-se para discutir futuro Plano de Acção Nacional para o Lobo-ibérico


Durante o dia de 15 de Dezembro de 2014 reuniram-se em Gouveia vinte entidades, de diferentes sectores, para discutir o tema da conservação do lobo-ibérico. Foram abordadas as preocupações e expectativas dos participantes relativamente a um Plano de Acção Nacional para esta espécie, numa perspectiva de envolvimento de toda a sociedade e com vista a convivência sustentável com o lobo.

A complexidade e diversidade de interesses que envolve a temática do lobo-ibérico resulta na necessidade de procurar consensos para a concretização de um Plano de Acção, que oriente e defina a conservação da espécie em Portugal. Numa iniciativa inédita, estiveram reunidas entidades associadas às actividades agro-pecuária, cinegética, científica, conservacionista e de gestão do território, para além do SEPNA/GNR, de Guardas e Vigilantes da Natureza e da autoridade nacional de conservação da natureza, ICNF.

Desta reunião resultou uma identificação dos principais temas a incluir num Plano de Acção Nacional, com vista à conservação e coexistência com o lobo-ibérico, designadamente:
Predação no gado; Fomento de presas silvestres; Mortalidade da espécie; Compatibilização das actividades humanas com a conservação do lobo-ibérico; Gestão e ordenamento do território; Monitorização e investigação; Sensibilização, envolvimento e comunicação; Financiamentos e apoios públicos; Cooperação e articulação com Espanha.

Discutiu-se ainda o modelo de Governança e as expectativas de envolvimento dos diferentes representantes da sociedade civil na elaboração e implementação do Plano de Acção para a espécie, na expectativa de salvaguardar os interesses das actividades humanas e do lobo, parte de um só mundo rural, património de todos nós e das gerações futuras.



Lisboa, 17 de Dezembro de 2014



As entidades subscritoras:

ACHLI – Associação de Conservação do Habitat do Lobo Ibérico
ADAG – Associação Distrital dos Agricultores da Guarda
ALDEIA – Acção, Liberdade, Desenvolvimento, Educação, Investigação, Ambiente

ANPC – Associação Nacional de Proprietários Rurais, Gestão Cinegética e Biodiversidade
APGVN – Associação Portuguesa de Guardas e Vigilantes da Natureza
APT – Associação dos Pastores Transmontanos
ATN – Associação Transumância e Natureza
BALADI – Federação Nacional dos Baldios
CAP – Confederação dos Agricultores de Portugal
CARNIVORA – Núcleo de Estudos de Carnívoros e seus Ecossistemas
CMN – Clube de Monteiros do Norte
CNA – Confederação Nacional da Agricultura
CONFAGRI – Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal, CCRL

FAPAS – Fundo para a Protecção dos Animais Selvagens
Grupo Lobo – Associação para a Conservação do Lobo e do seu Ecossistema
IWRT – Iberian Wolf Research Team
LPN – Liga para a Protecção da Natureza
Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza
SEPNA - Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente da Guarda Nacional Republicana
WWF (Portugal e Espanha)
Zoo Logical – Associação de Inovação para o Conhecimento, Divulgação e Conservação da Fauna






Para mais informações:
Liga para a Protecção da Natureza – 964119504


terça-feira, 23 de dezembro de 2014

A APGVN deseja a todos um FELIZ NATAL e um PRÓSPERO ANO NOVO!


A Associação Portuguesa de Guardas e Vigilantes da Natureza deseja a todos os companheiros e amigos da Natureza espalhados pelo mundo um FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO!

Unidos preservaremos a vida selvagem para que as gerações vindouras usufruam dela, tal como nós! 


quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

MENSAJE POR EL DÍA DEL GUARDAPARQUE PERUANO


ASOCIACION DE GUARDAPARQUES DEL PERU
Personería Jurídica Nº 11009389
“El Guardaparque  el Capital Humano de las Áreas Naturales Protegidas
 Los llamados a ser, Ángeles de la Conservación de la Naturaleza…
Los Héroes Anónimos…”

MENSAJE POR EL DÍA DEL GUARDAPARQUE PERUANO

Viller Flores H.
Presidente Electo de laAsociación de Guardaparques del Perú

Wilder Canales
Presidente saliente de la Asociación de Guardaparques del Perú
Según RESOLUCIÓN MINISTERIAL Nº 077-2008-MINAM, se declara el 6 de diciembre como el “Día del Guardaparque”, es así que desde ese año se conmemora al Guardaparque  peruano, quien  se convirtió en emblema e ícono de nuestras áreas protegidas; a lo largo de los años, desde la creación del INRENA, hoy SERNANP el guardaparque peruano a mostrando identidad, dedicación  y compromiso con su trabajo, velando por la conservación de las 77 áreas naturales protegidas del Perú.
Hoy 6 de diciembre, quiero saludar y rendir un homenaje a todos los hombres y mujeres Guardaparques  de todo el Perú, compañeros que trabajan los 365 días del año desempeñando numerosas actividades de protección y conservación: monitoreo biológico y antrópico, patrullajes, fiscalización, educación ambiental, turismo sostenible, apoyo a la investigación, custodiando permanentemente nuestras áreas protegidas y previniendo  infracciones ydelitos dentro de las mismas, sino también apoyando  y promoviendo  actividades sociales, convirtiéndose en un nexo importante entre las comunidades locales y el Estado.

Ser guardaparque es un orgullo, pues nuestra labor es defender día a día el patrimonio natural del Perú, desde los extraordinarios parajes naturales hasta las más inhóspitas condiciones y lugares geográficos, el guardaparque muestra valor y lealtad con su trabajo, renovando día  adía su vocación de servicio con el SERNANP y el Perú.

Es por ello, que en mi condición de presidente de la Asociación de  Guardaparques del Perú, saludo con un abrazo fraterno a todos los compañeros del Perú.
¡Vivan los Guardaparques del Perú!





Viller Flores H.
Presidente de la Asociación de Guardaparques del Perú

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Nova revista digital "Wilder - rewilding your days"

Uma equipa de jornalistas está a lançar uma nova revista digital dedicada ao mundo natural, a "Wilder - rewilding your days". A sua missão é inspirar e entusiasmar as pessoas a saírem de casa e descobrirem a natureza por si próprias, participando activamente na sua preservação e promoção.

A revista estará pronta durante o mês de Dezembro; por enquanto, estão aqui: Facebook.com/wilderdays.

Convidam-nos a fazer parte deste projecto que pretende ser um ponto de encontro para a comunidade naturalista em Portugal, reunindo peritos, cientistas ou amadores. Como? Enviando informação sobre:

- Eventos onde as pessoas se possam envolver com a natureza, para a Agenda Wilder;
- Projectos de conhecimento e intervenção no mundo natural, para a secção Histórias Wilder;

E outra informação que considerem que possa ajudar quem gosta de andar no campo a descobrir as suas maravilhas.

O email para os contactarem sempre que queiram é: geral@wilder.pt. E a partir de... agora! Neste momento estão a preparar uma lista dos eventos a não perder neste Inverno.


Fonte: Helena Geraldes

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Portugal: Vigilantes da Natureza Juniores observam aves no EVOA

No segundo ano do projeto “Vigilante da Natureza Júnior” da Escola D. Fernando II (Sintra) /DCNFVT/PNSC realizou-se uma sessão de observação de aves no EVOA – Espaço de Visitação e Observação de Aves, Lezíria Sul, Vila Franca de Xira.
O projeto “Vigilantes da Natureza Júnior” é apoiado pelo DCNFLVT, sendo o estudo das aves um dos temas da formação ministrada aos alunos.
Esta visita temática serviu para a aprendizagem das técnicas utilizadas na observação de aves e contou com a colaboração imprescindível dos Vigilantes da Natureza João Correia (RNET) e Sandra Raposo (PNSC).
Os vinte e nove alunos que participaram na atividade tiveram a oportunidade de aplicar e consolidar alguns dos conhecimentos já adquiridos o que os motivou ainda mais na procura de conhecer e descobrir a Natureza.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Angola: Instituto da Biodiversidade preocupado com notícias alarmistas

Luanda - O Instituto Nacional da Biodiversidade e Áreas de Conservação do Ministério do Ambiente, regista com preocupação notícias alarmistas veiculadas de má-fé, sobre a caça intensiva e comércio internacional de espécies da vida selvagem em território nacional.
Segundo a nota de imprensa chegada hoje à Angop, refere que tais informações não coincidem nem com os hábitos da população rural de Angola e muito menos com atitudes que considera não ocorrerem em áreas de conservação.

"Estas notícias, visam perturbar e especular sobre a estabilidade sócio económica do país, onde se dá continuidade ao esforço de recuperação da natureza e da vida selvagem, quer da fauna e da flora angolana”, descreve o documento.

O Instituto Nacional da Biodiversidade tem desenvolvido um conjunto de acções com o fim de devolver o normal funcionamento das áreas de conservação e a gestão efectiva da biodiversidade em Angola.

Nos últimos dias, com a paz alcançada, trabalha-se para se continuar a reverter a situação do abate indiscriminado de espécies de vida selvagem, através da criação de condições para o normal funcionamento das áreas de conservação.

Como medida complementar, o Governo angolano criou em 2011 três novos Parques Nacionais que se adicionaram aos seus criados na época colonial passando de 6,6 porcento para 12,58 a parte do território angolano, contendo áreas de conservação conforme orientam as normas internacionais ratificadas por Angola.

O Instituto Nacional da Biodiversidade e Áreas de Conservação (INBAC) diz que mantém presença com uma gestão e fiscalização activa nos Parques Nacionais do Miombe, LuengueLuiana, Mavinga, Quiçama, Bicuar, Cangandala, Cameia, Reserva Natural integral do Luando e Reserva da Chimalavera.

A respeito, acrescenta que tem feito um conjunto de intervenções noutras áreas da biodiversidade, nomeadamente da investigação, educação e monitorização sobre o estado de degradação dos ecossistemas.

Como forma de melhor conservar os ecossistemas em algumas áreas identificadas com sérias ameaças para a biodiversidade onde a caça, as queimadas e a degradação de habitats ameaçam a extinção de espécies da fauna e flora, o Ministério do Ambiente iniciou um processo de vedação completa destas áreas e tem estado a reforçar a fiscalização sobre as mesmas, acrescenta  a nota.
Este esforço permitiu desencadear acções consistentes e regulares de fiscalização, e com apoio das estruturas locais alguns caçadores foram detidos no Parque Nacional do Maiombe, Iona e Bicuar e entregues as autoridades judiciais.
No Parque Nacional do Iona e em Luiana foram de igual detidos um conjunto de cidadãos estrangeiros que foram julgados e condenados por praticarem a caça ilegal, revelou.

Fonte: ANGOP

World Parks Congress - La Promesa de Sídney: Visión


Más de 6000 participantes de más de 170 países se reunieron en el Congreso Mundial de Parques 2014 de la UICN en Sídney, Australia. Al tiempo que reconocimos a los custodios tradicionales de la tierra donde nos reunimos, celebramos una enorme variedad de formas inspiradoras de responder a los retos que enfrenta nuestro planeta, por medio de enfoques de áreas protegidas que respetan y conservan la naturaleza a la vez que benefician la salud y bienestar humano. Reconocimos que es fundamental reencontrar el equilibrio en la relación entre la sociedad humana y la naturaleza, y que los ecosistemas y la variedad de vida que encierran son indispensables para nuestra existencia, identidad cultural y espiritual, economías y bienestar.
Celebramos de manera entusiasta el incremento, así como la gobernanza y gestión mejoradas, de las áreas protegidas y conservadas alrededor del mundo desde que nos reunimos en Durban en el 2003, lo mismo que el liderazgo y las iniciativas de muchas regiones, incluyendo el primer Congreso de Parques del Asia en la historia. En particular, recibimos con beneplácito el establecimiento de nuevas áreas marinas protegidas, ya que los océanos saludables son fundamentales para la vida sobre la tierra y deben ser protegidos a mucha mayor escala. Reconocemos el creciente papel que juegan las áreas y territorios conservados por pueblos indígenas, comunidades y entidades privadas para poder alcanzar los objetivos sociales y de conservación de la biodiversidad, así como las oportunidades que presentan las nuevas tecnologías de comunicación y otras para comprender mejor y reclutar nuevos constituyentes, incluyendo a jóvenes de las ciudades en rápido crecimiento alrededor del mundo. Aplaudimos las numerosas mejoras en prácticas corporativas, así como las variadas historias de éxito y diversas alianzas intersectoriales logradas en pos de la conservación de la naturaleza y la sostenibilidad.
A pesar de estos avances, reconocemos que las amenazas a la naturaleza, su diversidad biológica y las áreas protegidas han alcanzado su nivel más alto en la historia, debido a la convergencia a inmensa escala de los patrones de consumo humano, el crecimiento de la población y la actividad industrial. Muchas áreas protegidas y conservadas se encuentran en riesgo o son víctimas de una mala gestión, y muchos de los custodios de áreas en la primera línea de campo lo han sacrificado todo por esta causa. Es necesario enfrentar esta realidad en forma directa, veraz y colaborativa. Requerimos de una visión valiente y una acción concertada si queremos alcanzar tanto los objetivos de conservación como las aspiraciones humanas de las generaciones presentes y futuras. No hay tiempo que perder.
Por lo tanto, nosotros:
Prometemos VIGORIZAR… nuestros esfuerzos para garantizar que las áreas protegidas no retrocedan sino que avancen. Aumentaremos la protección de paisajes terrestres, humedales y paisajes marinos para asegurar la representación de todos los sitios esenciales para la conservación de la naturaleza, especialmente los océanos. Mejoraremos la diversidad, calidad y vitalidad de la gobernanza y la gestión, incluyendo un reconocimiento y apoyo apropiados a las áreas conservadas por pueblos indígenas, comunidades locales y entidades privadas. Nos esforzaremos por promover los usos sostenibles de la tierra y eliminar las actividades y políticas que degradan, amenazan o producen la extinción o la pérdida de los ecosistemas y su biodiversidad, incluyendo el desenfrenado comercio ilegal de vida silvestre y el impacto de especies exóticas invasoras. Reconoceremos, respetaremos, aportaremos recursos y apoyaremos a nuestro personal de primera línea en el campo para que puedan llevar a cabo su trabajo, a menudo peligroso pero siempre decisivo.
Prometemos INSPIRAR... a toda la gente, de todas las generaciones, geografías y culturas, para que experimenten la maravilla de la naturaleza por medio de las áreas protegidas, para seducir sus mentes y sus corazones y generar una asociación de por vida para su bienestar físico, sicológico, ecológico y espiritual. Motivaremos y reclutaremos a las nuevas generaciones de las comunidades urbanas y rurales, como una inversión en el futuro de la sostenibilidad en el planeta, y en la calidad de vida de la gente en todas partes. Más allá de esto, trabajando en alianza con y reconociendo la larga tradición y conocimiento, los derechos colectivos y las responsabilidades de los pueblos indígenas y las comunidades locales en relación con la tierra, el agua, los recursos naturales y la cultura, trataremos de rectificar y remediar las injusticias pasadas y presentes en cumplimiento de los acuerdos internacionales.
Prometemos INVERTIR… en las soluciones de la naturaleza, con el apoyo de políticas públicas, incentivos, herramientas y garantías que ayuden a detener la pérdida de biodiversidad, mitigar y responder al cambio climático, reducir el riesgo y el impacto de los desastres, mejorar la seguridad alimentaria y de suministro de agua, y promover la salud y dignidad humanas. Trabajaremos para permitir que las áreas protegidas y conservadas, así como sus custodios, puedan diseñar y controlar respuestas eficaces, basadas en la evidencia y culturalmente apropiadas para esos retos, y para presentar una defensa irresistible de la necesidad de un mayor reconocimiento, incentivos, capacidad y financiamiento directos. Estimularemos las redes regionales de aprendizaje y las iniciativas que apoyan estos objetivos. Colaboraremos con nuevos socios para promover economías sostenibles y equitativas que respetan los límites planetarios y la justicia social.
Foto: Alifa Alwan Azra

Fonte: IUCN, Parks Australia and NSW National Parks and Wildlife Service

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Ursos polares, baleias, tubarões e gazelas protegidos pela ONU

Mais 31 espécies estão declaradas protegidas pelas Nações Unidas, decisão tomada na conferência da Conservação de Espécies Migratórias de Animais Selvagens realizada no Equador. Só o leão africano falhou a nomeação, por agora.
O leão africano foi o único excluído das 32 novas propostas apresentadas à classificação de "espécie protegida" pelas Nações Unidas. Ursos polares, baleias, tubarões e gazelas foram alguns dos eleitos na conferência da Conservação de Espécies Migratórias de Animais Selvagens, organizada pelo Programa da ONU para o Meio Ambiente. A conferência que decorreu em Quito (no Equador) durante seis dias, terminou este domingo e reuniu centenas de especialistas.
Com esta conferência, eleva-se a 569 a proteção de espécies migratórias - aves, mamíferos e peixes. À lista já existente foi acrescentado um número recorde de 21 espécies de tubarões, raias e peixes-serra. As gazelas-de-grant (comuns em África) e a ave abetarda (encontrada na Europa, Portugal incluído, e Ásia) são outras das recém-declaradas. De fora ficou, por agora, o leão africano, devido à escassez de informação dos países onde vive.
"Desde a poluição nos nossos oceanos, aos efeitos das alterações climáticas, à caça e sobreexploração - as ameaças que os animais migratórios enfrentam acabarão por  afetar-nos a todos" defende Bradnee Chambers, secretário-executivo do departamento de Conservação de Espécies Migratórias de Animais Selvagens da ONU.
O encontro reuniu cerca de 900 especialistas de 120 países diferentes. "Foi a melhor conferência, com o maior número de delegados inscritos. Foi uma conferência histórica", concluiu Brandnee Chambers na sessão de encerramento.
A próxima conferência está agendada para 2017 e terá lugar nas Filipinas.
Fonte: Expresso

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Reunião Ibérica sobre a Mitigação de Conflitos com o Lobo

O primeiro passo para a criação de estratégias partilhadas face ao lobo ibérico

No dia 28 de Outubro, teve lugar na Escola Superior Agrária de Castelo Branco a primeira Reunião de Trabalho Ibérica sobre Mitigação de Conflitos com o Lobo, que juntou associações de criadores, autoridades e investigadores, representando mais de uma dezena de instituições directamente envolvidas na gestão do lobo, em Portugal e em Espanha.

De associações como a Confagri, a Acrisabugal ou a Acriguarda à Junta de Castilla la Mancha, passando por organismos como o CIBIO, o ICNF e o Grupo Lobo, todos partilharam planos, anseios e casos de sucesso. Foi um dia de descoberta de soluções oriundas de outras paragens que poderão vir a beneficiar a coabitação com o lobo na área do Projecto MedWolf: a Guarda e Castelo Branco.

Incluindo apresentações que dissecaram em pormenor os tipos de maneio de gado e a sua exposição ao lobo no Noroeste de Portugal, na região espanhola da Cantábria e na província de Guadalajara. A criação de uma plataforma europeia de colaboração na gestão das populações dos grandes carnívoros foi também aqui anunciada.
Tratou-se igualmente de um dia de discussão franca e produtiva, através de uma mesa-redonda em que foram dados os primeiros passos para o consenso face a alguns aspectos-chave desta problemática.

Em breve, será dado o passo seguinte na estratégia inclusiva de diálogo promovida pelo Projecto MedWolf: o alargamento da discussão a todos os criadores nas zonas mais afectadas pelo ressurgimento da actividade das alcateias. Isto através de reuniões mais amplas com os criadores da região, onde serão discutidos estes e outros caminhos que possam levar a uma coexistência menos conflituosa com o nosso maior e mais ameaçado predador: o lobo ibérico.

Esta Reunião inseriu-se no Projecto LIFE MedWolf – Boas Práticas para a Conservação do Lobo em Regiões Mediterrânicas, e teve a colaboração da Acção- Piloto – A criação de gado bovino em regime extensivo na Península Ibérica: métodos de protecção contra ataques de lobo, desenvolvida pelo CIBIO (Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto) e pelo ICNF (Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas).
Informação suplementar disponível em www.medwolf.eu/, em http://lobo.fc.ul.pt/, ou por solicitação através do email lifemedwolf@.fc.ul

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Novas espécies de lagartixas são descobertas em região remota da Austrália

Um grupo de cientistas descobriu duas novas espécies de lagartixas numa região remota da península de Cape York, a nordeste da Austrália, informaram esta quinta-feira fontes académicas do país.
O líder da expedição científica, Conrad Hoskin, investigador da Universidade James Cook, descobriu as espécies no planalto de florestas da cordilheira de Cape Melville, a cerca de 170 quilómetros da cidade de Cooktown.
Hoskin explicou num comunicado da Universidade James Cook que as duas espécies estavam escondidas numa área de montanha isolada e remota, rodeada por grandes formações de rocha.
As duas lagartixas foram baptizadas oficialmente e descritas na última edição da revista científica Zootaxa. Com essas novas lagartixas, o pesquisador Hoskin acumula cinco espécies de animais descobertas em Cape Melville.
Para Hoskin, a cordilheira Melville ficou muito isolada do resto do mundo durante milhões de anos e por isso «provavelmente tem a maior quantidade de espécies de animais únicas por área que qualquer outro lugar da Austrália».
Os nomes científicos dos dois animais, Carlia wundalthini e Glaphyromorphus othelarrni, foram escolhidos por líderes aborígenes da região.
Fonte: DD

Asociación de Guardaparques del Perú cuenta con nuevo Consejo Directivo


Cerca de 50 guardaparques de 45 áreas naturales protegidas de todo el
Perú como el Parque Nacional del Manu, el Santuario Histórico de
Machupicchu, la Reserva Nacional Pacaya Samiria, la Reserva Comunal
Purús, el Bosque de Protección Alto Mayo y el Coto de Caza el Angolo,
entre otros; se dieron cita en Lima del 24 al 27 de octubre del 2014
para participar del III Encuentro de la Asociación de Guardaparques
del Perú.

Luego de tres días productivos en los que desarrollaron el Taller de
Capacitación de Liderazgo y Gestión en las Áreas Naturales Protegidas,
los guardaparques intercambiaron experiencias, estrategias y buenas
prácticas emprendidas en las acciones de control y vigilancia durante
la conservación de las 76 ANP que existen en el país, muchas veces
enfrentando situaciones difíciles por la cacería furtiva, tala y
minería ilegal, así como también realizando acciones a favor de la
promoción de actividades sostenibles en las comunidades locales.

La inauguración del taller estuvo a cargo del Secretario General del
SERNANP, Rodolfo Valcárcel, quien motivó a los guardaparques a
sentirse orgullosos por el trabajo que realizan a favor del país, toda
vez que no solo velan por el bienestar de  las presentes y futuras
generaciones con las distintas actividades sostenibles que promueven,
sino que además son agentes activos en el cuidado del patrimonio
natural que nos enorgullece a todos los peruanos.

En la cita destacó la presencia de la directora de Gestión de las
Áreas Naturales Protegidas-DGANP, Cecilia Cabello; y el jefe de la UOF
de Recursos Humanos, Carlos Bereche, quien absolvió las dudas de los
guardaparques sobre la implementación de la Ley Servir, que viene
siendo impulsado desde el Ejecutivo Nacional.

A su vez, se realizó el proceso de elección del Comité de la
Asociación de Guardaparques, periodo 2015-2016, que contó con la
masiva participación de los guardaparques. El nuevo Comité Ejecutivo
estará encabezado por Viller Flores Huillca como presidente de la
asociación (guardaparque del Santuario Histórico de Machupicchu); Hugo
Arirama Ruiz, secretario de actas (guardaparque de la Reserva Nacional
Pacaya Samiria) y Fernando Quispe, vicepresidente (guardaparque del
Parque Nacional del Manu). Del mismo modo, estará integrado por Warner
Atoche, secretario de economía; Cristobal Espinoza, fiscal
(guardaparque del Parque Nacional Yanachaga Chemillén) y Ramses
Palacios, vocal (guardaparque de la Reserva Nacional Sistema de Islas,
Islotes y Puntas Guaneras.

En su primer mensaje como nuevo líder de la asociación, Viller Flores,
manifestó que entre los retos que asumirá será promover una gestión
integrada de los guardaparques, así como conducir programas de
capacitación para sus asociados.

Asimismo, se reconoció la labor del Comité Ejecutivo encabezado por su
antecesor, Wilder Canales Campos (guardaparque de la Reserva Nacional
Sistema de Islas, Islotes y Puntas Guaneras) y al equipo directivo que
lo integró y que permitió generar beneficios a favor de los
guardaparques en un trabajo conjunto con el SERNANP, como ente rector
de las áreas naturales protegidas.

Lima, 28 de octubre de 2014

Comunicaciones SERNANP

Fuente: http://www.sernanp.gob.pe/sernanp/noticia.jsp?ID=2186